Receita recorrente: modelos e vantagens para prestadores de serviço

Como o nome sugere, receita recorrente é o modelo de negócio que permite um fluxo constante de entradas. E engana-se quem pensa que somente grandes organizações possuem ferramentas capazes de adotar essa prática. Cada vez mais, pequenas e médias empresas de serviço aplicam o formato de receita recorrente em suas estratégias.

Quer entender de que forma usar a receita recorrente no seu negócio e garantir mais entradas durante o ano? Separamos algumas dicas e vantagens. Acompanhe.

Receita recorrente: vantagens

Contar com o modelo de receita recorrente na sua empresa de serviços pode trazer inúmeras vantagens para o negócio. Destacamos as principais.

1 – Recebimentos constantes

A primeira vantagem da receita recorrente é, também, a mais óbvia: sua empresa pode contar com entradas mensais ou semanais. Mais dinheiro e mais previsão certa de verba entrando é fundamental para a saúde do fluxo de caixa.

2 – Planejamento financeiro mais sólido

Contar com as entradas que realmente vão acontecer, permite mais assertividade para o planejamento financeiro. Assim, você tem um controle mais preciso das contas a receber e contas a pagar, além de poder aproveitar oportunidades – que veremos no próximo item.

3 – Oportunidades aparecem

A receita recorrente traz mais segurança orçamentária e, consequentemente, mais oportunidade para a sua empresa: você pode investir no próprio core business e ampliar a carteira de atendimento, ou, estender seu leque de atuação e abraçar outros segmentos do setor.

Leia também: Como melhorar o atendimento ao cliente – 4 dicas práticas

Modelos de receita recorrente

Interessante contar com mais constância nos recebimentos, não é mesmo? Separamos três formas de receita recorrente que você pode escolher, dependendo do seu ramo de atuação na prestação de serviços. Confira!

1 – Assinatura pela prestação de serviço técnico

De telefonia a streaming, a forma de receita recorrente mais conhecida é a assinatura. Aqui, o cliente paga um valor mensal para receber um determinado tipo de serviço.

E apesar de ser conhecida como uma estratégia amplamente utilizada pelas gigantes da telecomunicação e internet, pequenas e médias empresas de serviços prestados fora do mundo digital também têm espaço para explorar o modelo.

Estamos falando da assinatura pela prestação de serviço técnico ou operacional.

Por exemplo:

Se a sua empresa presta serviço de manutenção de maquinário industrial, pode criar pacotes de assinatura para clientes com grande demanda. Aqui, a assinatura cobriria visitas mensais para manutenção preventiva – garantindo uma receita mensal para seu negócio e menos surpresas no orçamento do cliente, que deixaria de ter custos elevados com consertos emergenciais.

Inclusive, a consistência de previsão orçamentária gerada pela assinatura pode ser um dos argumentos de venda para seu time comercial.

A receita recorrente pode ser adotada em serviços de manutenção e outras naturezas técnicas e operacionais. (Imagem: Pexels)

2 – Assinatura pela prestação de serviço intelectual

Além de ser aplicado aos serviços de telecomunicação e aos serviços técnicos ou operacionais, o modelo de assinatura para gerar receita recorrente também pode ser utilizado nos negócios de natureza intelectual – como empresas de consultoria financeira, advocacia, produção de conteúdo, ou contabilidade, por exemplo.

3 – Software como serviço (SaaS)

O Software como serviço, também conhecido pela sigla SaaS (do inglês, Software as a Service) é um modelo de receita recorrente bastante utilizado por empresas de tecnologia. Nesse caso, significa que ao invés de desenvolver um programa para venda única, é possível vender a assinatura que dá acesso às funcionalidades desse programa.

Consequentemente, o pagamento para a empresa prestadora do serviço se dá de forma mensal. Para o consumidor, a vantagem é contar com um programa sempre atualizado e com suporte quando precisar. Além disso, não fica para o cliente a tarefa de encontrar espaço em máquina, servidor ou em nuvem – já que, na maioria dos casos, o próprio fornecedor é responsável por essa frente.

Como fazer o controle adequado da receita recorrente?

Agora que já discutimos as principais vantagens e modelos da receita recorrente, vem a pergunta: como controlar os clientes e as entradas mensais?

Afinal, uma vez que você tem mais consumidores pagando mensalmente, você tem também mais responsabilidades: como monitorar contas a receber para evitar a inadimplência, além de emitir notas e boletos na ordem mensal.

Aqui, nossa dica é contar com um sistema de gestão integrado de verdade.

O SAP Business One, por exemplo, é o ERP ideal para pequenas e médias empresas do ramo de serviços, inclusive para aquelas que desejam adotar ou já trabalham com o modelo de receita recorrente.

Isso, porque o SAP Business One:

  • Automatiza a emissão de notas e geração de boletos;
  • Automatiza a gestão de contratos guarda-chuva;
  • Traz telas customizáveis para você analisar com facilidade contas a receber e a pagar;
  • Gera relatórios e previsões precisos;
  • Ajuda a reduzir custos e zera retrabalhos.

Tudo isso de forma integrada e em tempo real. Aproveite e converse conosco para entender mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × cinco =

Converse conosco

Quer um orçamento ou deseja entender como o ERP da SAP vai ajudar sua empresa?

Preencha com seus dados e nossa equipe entrará em contato.